Fast News Gospel

Notícias

A Perfeição é a Doença da Nação

A Perfeição é a Doença da Nação
janeiro 15
20:22 2015

Com a chegada do verão e desfiles de moda é aflorada em uma grande parte da população, a preocupação é com o corpo, época em que as academias ficam lotadas por clientes que querem milagres de um verão em busca do corpo perfeito. E em pouco tempo percebem que a academia e a alimentação saudável levam mais tempo para chegar ao corpo desejado, ai partem para os tratamentos estéticos em clínicas e remédios para emagrecer ou ganhar massa mais rápido.

É comum ver em jornais, matérias de meninas que em busca do corpo perfeito procuram métodos clandestinos ou mesmo abusam de tratamentos clínicos e acabam por obter resultados nada agradáveis ou até mesmo a morte.

No ano de 2014 muitos holofotes focaram para a cantora Beyoncé Knowles; um ano de grandes conquistas para ela como sempre, considerada por muitos como uma “diva”, pois é uma mulher como muitas outras, que faz muita coisa: casada, tem uma filha, é cantora, dançarina, compositora, coreógrafa, produtora, atriz entre outras habilidades, além de estar engajada em varias ações sociais e ter uma história de vida de muita luta e esforço para ter chegado onde esta atualmente e ter obtido reconhecimento internacional. No entanto, o destaque deste artigo vem direcionado mais em especifico para a mensagem que Beyoncé passou em sua musica “Pretty Hurts” lançada em 2014.

Pretty Hurts (“A Beleza Machuca”) traz a mensagem que como o próprio título da música diz que a beleza machuca, fazendo uma crítica a ditadura da estética no universo das passarelas. No clipe, ela mostra o universo das modelos e a difícil aspiração de se tornar “miss”, um cenário de forte disputa e descontrole emocional, que para chegar à forma necessária induziam o próprio vômito ou tomavam remédios, parecendo estar claro na letra e principalmente no clipe que muitas sofriam de anorexia ou bulimia. A letra mostra trechos de como seria uma “beleza padrão” imposta pela sociedade.

“Cabelo loiro, seios pequenos

A TV diz que quanto maior, melhor

Praia do Sul, sem açúcar

A moda diz

Que mais magra é melhor”.

 

Mostrando que são através dos meios de comunicação, principalmente os televisivos que os estereótipos de beleza são expostos, com a intuição de fazer a grande massa que assiste a querer ter aquele padrão de corpo.

Logo, segundo Pretty Hurts “a perfeição é a doença da nação” e “evidenciamos o que temos de pior…. tente reparar algo… mas você não pode reparar o que não consegue ver… é a alma que precisa de cirurgia”.

Muitos questionaram se a própria Beyoncé estaria sofrendo por representar um símbolo de mulher perfeita e ter que sustentá-lo estaria sendo difícil; ou apenas tentando passar para as mulheres que a beleza esta nos olhos de quem vê, e que o problema de uma maioria da nação está na alma e não no corpo. A resposta é incerta, mas a mensagem é explicita.

Outras cantoras chamaram a atenção criticando também os padrões de beleza, como Colbie Caillat que na musica “Try” (Tentar) composta por ela mesma, lançada em junho de 2014; vem com uma letra totalmente reflexiva. Colbie vinha achando muito abusivo o uso de photoshop em suas fotos, chegando a nem reconhecer-se nas fotos, por isto, resolveu escrever Try para exteriorizar que não é preciso o uso de muita maquiagem, photoshop, gastar fortunas para tentar gostar ou fazer com que os “outros” gostem de si. Colbie escreveu que “Você não precisa se esforçar tanto… não precisa entregar tudo…apenas precisa se levantar… você não precisa mudar nada… não precisa tentar”. Ela mostra que é preciso só tentar gostar de si mesma.

Assim como Colbie, Meghan Trainor uma jovem cantora que ficou conhecida em 2014 por ter lançado a musica “All about that bass” (Sou mais um corpo violão), que vem uma proposta diferente de Bey e Colbie; Meghan na letra faz uma sátira as “Barbie siliconadas” e “magrelas”, dizendo que prefere um corpo violão do que um tipo “flauta”, Meghan em sua musica vai na defesa das “gordas”, falando que “sei que você se acha gorda…mas estou aqui para te dizer que…cada pedacinho de você é perfeito, lá de baixo até o topo”. Fica claro que Meghan mostra em sua letra sua aceitação com seu corpo.

Esta crítica aos padrões de beleza, tomaram muita notoriedade em 2014, porém este movimento contra a tentativa de chegar à perfeição não é novo. No mundo da música Demi Lovato com “Believe in me”, Pink com “Stup girls”, Christina Aguilera com “Beautiful”, Lily Allen com “The fear” e entre outros já apresentaram em suas letras aversão ao estereótipo de beleza.

Vale ressaltar Demi Lovato, que sofreu por esta busca incontrolável em ser magra, desde cedo ainda criança na escola diz ter sofrido bullying e ter sido chamada de gorda, em 2008 Demi lança a musica “Believe in me” (Acreditar em mim), expressando na música que “…todos são perfeitos de formas diferentes”, contudo mais tarde aos 18 anos Demi decidiu se internar por sofrer de distúrbios alimentares e automutilação. Posteriormente após ter se recuperado e sair da clinica de reabilitação, lança em 2011 a musica “Skyscraper” (Arranha-céu), pois se identificou com a letra que falava de recuperação e superação, “Eu vou me levantar do chão… como um arranha-céu”. Após ter superado seus problemas tatuou em seus pulsos as palavras “Stay” e “Strong” ((Fique Forte/Permaneça Forte), como um lema ou motivação para a vida, escrevendo também um livro autobiográfico com 365 insights de reflexões e objetivos. Além de participar de ações humanitáriaspelo mundo.

dnovato

texto novato

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto e mensagem postada por Demi Lovato em sua rede social no Instagram, onde ele diz que esta imagem faz senti-la emoções mistas. Na primeira imagem ela diz que se sentia pesada e gorda, até pediu para que seu vestido fosse mais achatado, hoje vê claramente seus ossos do quadril, o que a deixou triste por ter desperdiçado tantos anos de sua vida por ter vergonha de seu corpo…agora se sente feliz olhando para ela de vestido vermelho éter tido o apoio de quem ela ama. Termina dizendo que “nunca se esqueça que ficar forte vale a pena ”

 

Como o intuito aqui foi uma autorreflexão, a música pode mostrar este universo da ditadura da moda/beleza que a cada dia vem afetando um número maior de pessoas com seus padrões “milimetricamente perfeitos” que muitos buscam, como diz Beyoncé “a perfeição é a doença da nação”.

E as questões são: “Você goste de si?”, “Você está feliz consigo mesma?”, “Qual é a sua aspiração na vida?”.

Espero que as respostas sejam SIM, pois é preciso viver e fazer o certo apenas para você, e não viver para os outros ou como eles acham que deve ser viver. Afinal só temos uma vida, e ela deve ser vivida do jeito que você quiser. Como dizia Fernanda Estellita “E sempre vai ter gente querendo te menosprezar, te apagar, te diminuir. Não retruque, apenas, brilhe mais!”.

“A aparência pode até fazer diferença, mas ela não é nada perto da beleza que vem do coração.” (Garota Intensa)

 

Ketlyn Kelly faz bacharelado em Letras

kelly

 

Sobre o Autor

Fast News Gospel

Fast News Gospel

Artigos Relacionados

9 Comentários

  1. Ewan
    Ewan fevereiro 17, 10:29

    Carley Renteria – I’m so happy for you dianna and am so proud of eyeithrng you have accomplished. You have no idea. I tell everybody i can about what your doing and how lucky i am to have someone as amazing as you in my life! I miss you like CRAZY! and can NOT wait for you to come home! LOVE YOU FOREVER<3

    Responder a este comentário
  2. Marta
    Marta janeiro 16, 14:19

    Ás vezes fico confusa, pois essas cantoras levam músicas com mensagens que rompem os padrões de beleza, mas ao mesmo tempo elas agem ao contrário do que cantam. Se elas não estiverem dentro do padrão, não fazem sucesso. A Adele seria um cantora um pouco fora dos padrões, poderia citá-la. Mas muito bom seu texto. Parabéns!

    Responder a este comentário
  3. Dani
    Dani janeiro 16, 14:09

    Ser saudável é um coisa, ser magra é outra completamente diferente. Muito bom seu texto!

    Responder a este comentário
  4. Tica
    Tica janeiro 16, 14:06

    É interessante observar que até no meio masculino existe uma preocupação com o corpo, mas com as mulheres parece que é mais.

    Responder a este comentário
  5. sara
    sara janeiro 16, 04:48

    De fato, há pessoas que se preocupam mais com o “ter” ao invés do “ser”, as mesmas seguem ditos de uma sociedade cheia de mitos e mentiras..Porem, nao há como não se preocupar com a beleza depois, de ler essa afirmação do poeta Vinicius de Moraes “As feias que me desculpem, mas beleza é essencial” . Qual nivel de beleza seria esse?? Kelly, seu artigo ficou ExtraordinArio Adorei

    Responder a este comentário
  6. Carol
    Carol janeiro 16, 01:36

    Foi emprisionante como Meghan Trainor fez sucesso com uma única música tão rápido e sua música leva uma mensagem muito legal quebrando muitos estereótipos.

    Responder a este comentário
  7. Camila
    Camila janeiro 16, 01:32

    Muito boa sua percepção em relação a Beyonce e às outras cantoras =D

    Responder a este comentário
  8. Luiza
    Luiza janeiro 16, 01:16

    Texto muito bom!

    Responder a este comentário
  9. Luiza
    Luiza janeiro 16, 01:09

    Texto muito reflexivo! Parabéns!

    Responder a este comentário

Escrever um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *

7 + oito =

Curta também nossa fanpage

Anunciantes

Agenda de Postagens

junho 2017
D S T Q Q S S
« mar    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Categorias

Statistical data collected by Statpress SEOlution (blogcraft).